A Saúde

A ausência de sinais ou sintomas físicos ou psíquicos, ou a não percepção deles, não implica em Saúde, pelos critérios da Psicoterapia Reencarnacionista. Nela, a visão do ser humano transcende a persona, aprofunda-se em seus aspectos espirituais e no grau de aproveitamento de sua encarnação, a partir dos objetivos evolucio­nistas. A visão habitual de saúde ou de doença extrapola, então, o corpo e o psiquismo, e os critérios abordados para o diagnóstico e prognóstico passam a ser as motivações existenciais, a compreensão da existência en­carnada, do retorno à vida encarnada na infância, dos gatilhos e das armadilhas.
A avaliação do grau de Saúde de uma pessoa é feita a partir da intensidade com que ela é controlada pela sua “versão persona”, ou seja, como é o seu raciocínio equivocado a respeito das coisas de sua vida. Algumas vezes, encontramos pessoas que quase não apresentam manifestações desagradáveis a nível físico, sendo aparentemente saudáveis. Vistas, porém, pela ótica da Psicoterapia Reencarnacionista, estão em um estágio em que os sinais e os sintomas ainda não apareceram mas não tardarão, pois avaliando-se pelo raciocínio espiritual, observa-se egoísmo, egolatria, uma tendência materialista, etc. É o caso, as vezes, de pessoas “bem-sucedidas”  e “saudáveis”, com amplo predomínio de sua persona. Mas em breve surgirão a nível físico as manifestações de seus erros e enganos psíquicos e espirituais. E também é o caso de pessoas também egocêntricas, as magoáveis, as que sentem-se rejeitadas, as que sofrem de auto-piedade, as solitárias, etc. que em breve sofrerão disso em seu corpo físico.
Enquanto os desequilíbrios encontram-se no nível psíquico ou dentro da­quela categoria de sintomas físicos ainda não detectáveis pelos exames diagnósticos, são de prognóstico mais favorável, desde que abordados adequadamente, ou seja, a partir da busca da causa dessas manifestações e da necessidade, por parte daquela pessoa, de uma correção na sua maneira de enxergar a sua infância e a sua vida. Quando as manifestações passam do corpo mental para o corpo emo­cional, deste para o duplo etérico e daí para o físico, ou seja, os erros e os enganos, a ignorância e a miopia existencial somatizam-se, condensam-se, fi­xam-se no corpo visível, aí então o prognóstico torna-se mais sombrio e o tratamento mais difícil. E aí pode ser necessária a Medicina oficial, do corpo físico, que lida com as conseqüências, não com as causas. Quando chega nesse ponto, muitas vezes, o veículo precisa ir para a oficina. E o motorista deve parar e meditar. Meditação é acalmar o pensamento e como esse é um atributo do Ego, meditar significa ir retirando o poder dessa parte infantil sobre nós e abrindo espaço para que nossa Essência possa penetrar e começar a nos dirigir.
O importante, para a Psicoterapia Reencarnacionista, é encarar e tratar as pessoas a partir dos seus aspectos mentais (pensamentos), que criam e mantém os aspectos emocionais (sentimentos), o que abrange a sua visão a respeito da vida, a sua interpretação equivocada dela, da sua própria existência e objetivos. A Psicoterapia Reencarnacionista, sendo uma terapia que tem seu foco nos pensamentos das pessoas, tem a capacidade de poder modificar o raciocínio que os doentes físicos ou psíquicos têm de sua infância, de sua vida, e dos coadjuvantes de sua atual encarnação. Por isso, ela consegue, em pouco tempo, mudar o enfoque a respeito disso e com essa mudança, diminuir naturalmente os sentimentos que estavam atrelados ao equívoco e as doenças físicas que originaram-se deles.

A maior parte das doenças físicas têm origem no nosso raciocínio (entendimento) a respeito das relações conflitantes com os pais ou outras pessoas na infância ou durante a vida, o que geralmente já vêm de encarnações passadas, e por isso veio para a Terra essa nova maneira de enxergar a realidade espiritual do ser humano (um novo entendimento), a partir da priorização da busca da verdadeira visão, a da nossa Essência, e da noção de temporalidade das nossas personas e as suas ilusões. A Psicoterapia Reencarnacionista é a terapia da libertação da visão personal, que faz parte das armadilhas da encarnação, ela é a terapia da submissão, da obediência, da humildade, da evolução espiritual, e isso só é possível se nos libertarmos do comando do nosso Ego, da nossa persona e o passarmos para o nosso Espírito. 

Sobre Marcio Higa

Pós-graduado em Telecomunicações, Bacharel em Ciência da Computação e Técnico em Mecânica. Está terapeuta há 15 anos, com formação em Reflexologia(Podal e Auricular) pelo IOR, Crochetagem(Técnica de Fisioterapia Manual) e Manobras Articulares(Quiropraxia e Osteopatia) pela ABCroch, e Psicoterapia Reencarnacionista, na qual é Ministrante, Palestrante e Coordenador Nacional dos Grupos de IINP(Investigação do Inconsciente Não Pessoal) da ABPR, e do Núcleo ABPR São Paulo-SP. É fundador e proprietário do Instituto Sofia Higa, em São Paulo-SP, na Vila Prudente.
Esse post foi publicado em Consciência e Poder. Bookmark o link permanente.