Desmaio

desmaioPerda rápida da consciência em virtude da redução do volume de sangue para o cérebro. O episódio dura menos de alguns minutos e a recuperação é rápida e completa. Antes do desmaio, pode ter uma sensação de desfalecimento ou de tontura. Trata-se de um evento clínico comum, que atinge mais as pessoas idosas, os portadores de cardiopatias (doenças cardíacas) e as mulheres jovens. O problema é que, na queda associada ao desmaio, com frequência as pessoas podem sofrer traumatismos e fraturas ósseas. Um quadro mais demorado e profundo de inconsciência é chamado frequentemente de coma. Numa situação de desmaio, a pessoa perde não só a consciência, mas também o tônus muscular e a coloração da face (palidez). Pode se sentir nauseada logo antes, e pode ter a sensação de ruídos enfraquecendo ao fundo. Não é uma doença, mas pode ser manifestação de inúmeras alterações orgânicas, tais como:

-Doenças cardiovasculares: arritmias, distúrbios hemodinâmicos, paradas cardiorrespiratórias, porque comprometem o fluxo normal do sangue para os tecidos, em especial para o cérebro.

Distúrbios metabólicos: hipoglicemia (falta de açúcar no sangue causada por jejum prolongado ou diabetes descompensado), anemia intensa, hemorragias, desidratação e desequilíbrio na composição dos sais minerais da corrente sanguínea.

-Uso de medicações: diversos medicamentos, entre eles os diuréticos, podem provocar desmaios, quando usados em doses mais altas.

-Queda brusca da pressão arterial provocada pela mudança repentina de posição (a pessoa estava sentada ou deitada e fica em  pé de repente). Está associada à desidratação, ao uso de diuréticos a aos distúrbios cardiovasculares.

-Outras causas: tosse intensa, evacuação intestinal (especialmente se a pessoa estiver se esforçando), cansaço extremo, emoções súbitas, nervosismo intenso, dores fortes e permanência prolongada em lugares fechados e quentes.

As razões menos comuns, embora mais graves, para o desmaio incluem doença cardíaca (como ritmo cardíaco anormal ou ataque cardíaco) e derrame. Essas condições são mais prováveis em pessoas com mais de 65 anos e menos prováveis antes dos 40 anos.

Eis algumas sugestões úteis:

* Se a pessoa começou a desfalecer, tente apoiá-la antes que caia. Ajude-a a sentar-se numa cadeira ou poltrona e a colocar a cabeça entre os joelhos. Peça que inspire e expire profundamente até que o mal estar passe. Não permita que se levante sozinha.

* Se ocorreu o desmaio, deite a pessoa o mais confortavelmente possível, com a cabeça e ombros em posição mais baixa que o restante do corpo. Vire sua cabeça de lado para evitar que aspire secreções que possam sufocá-la. Nunca a faça aspirar álcool ou amoníaco nem jogue água em seu rosto para reanimá-la. Quando recobrar a consciência, não permita que se levante sozinha. Faça-a ficar alguns minutos sentada para readaptar-se à posição vertical.

Sobre Marcio Higa

Pós-graduado em Telecomunicações, Bacharel em Ciência da Computação e Técnico em Mecânica. Está terapeuta há 15 anos, com formação em Reflexologia(Podal e Auricular) pelo IOR, Crochetagem(Técnica de Fisioterapia Manual) e Manobras Articulares(Quiropraxia e Osteopatia) pela ABCroch, e Psicoterapia Reencarnacionista, na qual é Ministrante, Palestrante e Coordenador Nacional dos Grupos de IINP(Investigação do Inconsciente Não Pessoal) da ABPR, e do Núcleo ABPR São Paulo-SP. É fundador e proprietário do Instituto Sofia Higa, em São Paulo-SP, na Vila Prudente.
Esse post foi publicado em Saúde e Bem-Estar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s