Amar, um ato de coragem!

como-vencer-o-medo-de-amar-2O amor não é para os covardes.

Amar exige de nós a coragem de renunciar, perdoar, dissipar mágoas, e repudiar as armadilhas do egoismo.

Para amar verdadeiramente temos que desenvolver nosso poder de superação, por mais justificáveis que possam ser nossos ressentimentos e queixas.

Porém, o amor é fundamental, e amar é um aprendizado constante de como dialogar com nosso coração, e com o coração do outro.

Todos nós sabemos o quanto é árduo o caminho da compreensão das nossas limitações e das limitações alheias.

Mas, é essa compreensão que nos capacita focar nossa atenção, não no que aparenta ser, mas no que realmente é.

Por exemplo : quando alguém nos fere com palavras ou atitudes, ele nos demonstra que o medo, a confusão emocional momentânea e a impulsividade, e não o verdadeiro sentimento que essa pessoa nutre por nós, foi quem falou mais alto.

Por isso, depois de uma discussão, quando palavras foram usadas como armas de agressão, o agressor, passado o momento da raiva, costuma dizer: não foi isso que eu quis dizer.

É verdade, não foi o sentimento que ele tem por você que se expressou, mas a sua própria confusão mental e emocional.

Para compreender isso é preciso ultrapassar as barreiras do ego-personalidade, e para isso precisamos nos empenharmos na auto-análise e auto-observação com constante honestidade.

Certamente ao longo da vida, teremos inúmeras oportunidades de submeter a pequenez do nosso ego à grandiosidade do poder do amor.

Os tropeços e as provocações que sofremos durante a vida, habilitam-nos a amadurecer emocionalmente, a nos determos no outro, e a enfrentar as provações com lucidez, ao invés de sermos engolidos por elas.

A consciência lúcida evita que sejamos movidos pela disputa e pela hostilidade, ou reajamos instintivamente, por defesa própria.

Diante de discussões estéreis ou ofensas irresponsáveis, e todo tipo de situações de stress precisamos exercitar a compreensão de que a ofensa sempre parte de alguém que sofre, porque se fosse feliz não ofenderia.

Que outra energia, senão a do amor supera vaidade, egoísmo,  medo, orgulho e outros obstáculos que nos fazem sofrer?

Então, amar é ou não é prerrogativa dos corajosos?

 

Marilu Martinelli

Sobre Marcio Higa

Pós-graduado em Telecomunicações, Bacharel em Ciência da Computação e Técnico em Mecânica. Está terapeuta há 15 anos, com formação em Reflexologia(Podal e Auricular) pelo IOR, Crochetagem(Técnica de Fisioterapia Manual) e Manobras Articulares(Quiropraxia e Osteopatia) pela ABCroch, e Psicoterapia Reencarnacionista, na qual é Ministrante, Palestrante e Coordenador Nacional dos Grupos de IINP(Investigação do Inconsciente Não Pessoal) da ABPR, e do Núcleo ABPR São Paulo-SP. É fundador e proprietário do Instituto Sofia Higa, em São Paulo-SP, na Vila Prudente.
Esse post foi publicado em Consciência e Poder. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s